quarta-feira, 9 de março de 2011


Imagine nós dois, eu e você, daqui a alguns anos, morando juntos. Não precisaríamos ser namorados, nem casados, nem nada disso. Apenas amigos. E nós seriamos felizes, eu e você. Fotos de nós dois estariam espalhadas pela casa. Fotos suas no meu quarto, fotos minhas no seu quarto. Mas nós dormiríamos juntos. Pelo simples fato de eu te querer por perto, e você me querer também. Pelo simples fato do seu quarto estar bagunçado de mais e a minha cama ser perfeita para nós dois. Eu teria medo do escuro, sem você. E eu andaria apenas com roupas íntimas, e você fingiria não se importar. E eu fingiria acreditar. Eu fugiria de você, correndo pela casa, rindo, com o controle da televisão, só pra você não mudar o canal. E você me pegaria, e ficaríamos abraçados até o silêncio nos constranger. Nossos sábados a noite seriam nostálgicos, olharíamos todos tipos de filme, atiraríamos pipocas um no outro e pediríamos uma pizza. Nostálgicos e perfeitos, porque depois dormiríamos abraçados, no sofá da sala, ao som da melodia dos créditos de um filme de romance em que eu choraria do começo ao fim, e você riria de mim e comigo. Iríamos ao supermercado uma vez por mês, comprar as mais diversas porcarias. E não nos faltaria nada. Você não se importaria com as minhas roupas espalhadas pela casa e pelo seu quarto. Eu não me importaria com a sua bagunça diária, nem com a sua toalha de banho atirada pelos cantos. Nos domingos à tarde, ficaríamos na sacada do nosso apartamentinho no 3º andar, tomando coca e cantando músicas velhas. Olharíamos as pessoas lá em baixo, casais apaixonados, e ficaríamos em silêncio, perdidos nos nossos próprios pensamentos. Suas amigas viriam te visitar, e eu choraria em silêncio, no escuro do meu quarto. Até elas irem embora e você ir dormir comigo, e perguntar se chorei. Eu negaria. Você acreditaria. Me acordaria no meio da noite, para contar um sonho que teve. E nós riríamos juntos. Me acordaria com café na cama, ou com uma rosa roubada do jardim da casa vizinha. Eu deixaria um recado sutil de amor na porta da geladeira antes de sair na segunda de manhã para visitar meus pais. Poderíamos até ter um cachorro. Poderíamos juntos, levar ele para passear. E você decidiria pintar a casa, e ela ficaria vazia, apenas com nós dois e nosso cachorro. Deitaríamos no chão, e eu perguntaria em que você estaria pensando. Você mentiria e me perguntava o mesmo. Eu mentiria. Eu iria para a universidade todo dia de manhã, enquanto você ia para seu trabalho de meio turno em uma empresa de sucesso. Você me amaria, em silêncio. Eu também te amaria, em silêncio. Em alguns anos, eu estaria me formando , e você estaria no topo da carreira. E você me levaria pra jantar e me pediria em casamento. Eu aceitaria. E seria uma linda história de amor.




Tudo muda, quando você encontra um amor. Tudo fica diferente, mas nem tudo fica melhor. O que há de bom nisso é que você tem a absoluta certeza de que quando precisar de um abraço forte e quente, seu amor vai estar ali. Outra coisa boa é que o beijo dele é sincero, verdadeiro, muito diferente desses das baladas que você frequenta, e os caras tentam te beijar só por prazer e quantidade. Uma das melhores coisas é que ele se torna realmente o seu melhor amigo e escuta o que você tem pra dizer, se for preciso chora ao seu lado, nele sim você pode confiar. Como disse nem tudo muda pra melhor, ás vezes você cria expectativas de que ele vá te surpreender, de fazer algum mimo e ele não faz. Isso não quer dizer que ele te esqueceu, nem que ele não liga pra você, ele apenas não pensou nisso para esse dia. Ás vezes ele vai te fazer passar por situações que você não gosta, te contar histórias que você nunca queria ouvir, mas seu amor é forte o suficiente pra suportar tudo isso. A melhor parte vem agora: quando se tem um amor de verdade, você e ele se tornam apenas um , seus problemas se juntam, seus sorrisos também, os perigos vocês enfrentam juntos, e as felicidades compartilham, mais você sabe que mesmo com tudo isso ele ainda tem uma parte que sempre vai ser dele , mais que sempre te pertenceu, e que essa parte apenas ele poderá mudar, porque ela é a unica que não se agrupa a você, o coração dele. Mesmo esse coração não se tornando apenas um com esse amor como o resto de tudo, ele também é teu, é compartilhado com você, bate por você. Poderia ser capaz até de morrer.


Ela tinha feridas enormes no peito, enquanto ele tinha a intenção de curá-las.E foi ai que eles não disseram nada, eles permaneceram dependentes um do outro, do sorriso, da voz e do cheiro, principalmente do cheiro.
Não foi preciso dizer nada, eles se olharam e esse olhar explicou tanta coisa, que eles sorriram se abraçaram e aguardam o momento de se tornarem um só

Eu tenho meus problemas sim, mas quem disse que isso me impede de ser feliz?

"Pessoas mudam, a vida muda , os amigos mudam , mais você tem que seguir em frente ."




- Demi Lovato.

não há nenhum ser humano que não tenha por um momento, desejado colocar uma máscara e vestir um personagem que não é. E ainda que não tenha colocado a máscara, desejando-o.Já mentiu pra o seu próprio coração! Ninguém é imuni aos sonhos .

domingo, 6 de março de 2011


Antes de você, eu não entendia as canções, dormia bem todas as noites, não me importava com as minhas roupas, esquecia o celular, tinha pensamentos livres e horas vagas. Meu coração era saudável, lento, constante. Eu não tinha febre psicológica, crise emocional, stress acumulado, nem carência afetiva. Não tinha ciúme, ódio, ou pensamentos psicopatas. Eu sempre tinha a razão, não aguentava reclamações, não planejava tantas coisas boas e bobas. Antes de você eu não morria de saudade, não era tão bem-humorada, não me preocupava em fazer alguém feliz, em cuidar de alguém. Eu não sabia sequer que um abraço curasse tanta dor, que o mundo cabia num sorriso, e que era possível gostar tanto de uma pessoa. A verdade é que antes de você, eu não era eu.Antes de você, eu não era nada.